Retirada de Tumores palpebrais e conjuntivais

Infelizmente, é comum a ocorrência de tumores nas regiões das pálpebras, podendo variar de lesões benignas como: cistos sebáceos, verrugas, viróticas, alterações de origem genética ou mesmo lesões malignas (carcinomas) que podem aparecer pela exposição ao sol ao longo da vida sendo, portanto, um importante fator de risco para o aparecimento destes tumores.

O principal sintoma é o surgimento de um caroço, mancha ou uma elevação na parte branca dos olhos. Essas lesões crescem progressivamente e podem estar associadas a inflamações, ulcerações, olho vermelho, sensação de areia e dor.

O oftalmologista especialista em cirurgia de pálpebras avaliará o tipo de lesão baseado no exame biomicroscópio. Nos tumores benignos, é possível optar pelo acompanhamento clínico com o uso de colírios e em casos suspeitos de malignidade, a recomendação é a cirurgia para remover o tumor e se necessário à reconstrução da pálpebra. Uma biópsia pode ser solicitada com o acompanhamento de um patologista durante a cirurgia, técnica chamada de biópsia de congelação e, posteriormente a realização da cirurgia principal.

Outras condutas podem ser associadas ao tratamento como a quimioterapia, crioterapia, radioterapia ou até a ampliação cirúrgica das margens.

Pré-Operatório:

download

Em desenvolvimento

Pós-operatório:

Em desenvolvimento

ESTRUTURA DO CDOP

No CDOP utilizamos o O Excimer Laser Schwind Amaris, equipamento de última geração que utiliza pulsos de laser direcionados e precisos. Considerada uma cirurgia rápida, que direcionados e precisos. Considerada uma cirurgia rápida, que apenas alguns segundos. É um procedimento moderno, que proporciona para o paciente Independência total ou parcial no uso dos óculos.

CONTEÚDOS RELACIONADOS